17.10.05

Arte e emoçao

Equações do amor


“Nash: Thank you. I've always believed in numbers and the equations and logics that lead to reason.
But after a lifetime of such pursuits, I ask,
"What truly is logic?"
"Who decides reason?"
My quest has taken me through the physical, the metaphysical, the delusional -- and back.
And I have made the most important discovery of my career, the most important discovery of my life: It is only in the mysterious equations of love that any logic or reasons can be found.
I'm only here tonight because of you [his wife, Alicia].
You are the reason I am.
You are all my reasons.
Thank you.”

Há pouco tempo escrevi como ás vezes a linguagem de algumas expressões artísticas me transcende. E é verdade. Mas não de todo.

Posso não ser o maior conhecedor e apreciador de todo esse mundo a que se chama “arte”. Mas não nego de todo o seu valor. Antes pelo contrário.

A expressão artística convive com a filosofia, a ciência e a religião. E as classificações valem o que valem. Não muito. Não é possível distinguir e separar todas essas formas de expressão que o Homem cria para se conhecer( e criar) a si mesmo e ao mundo. As revelações e criações que nos fazem conhecer e viver são complementares. Aliás: são unas e integradas.

Ontem li uma entrevista de um escritor espanhol que tão falava disto de forma tão clara: “El arte es una via de conocimiento, no sólo una forma estética de expressión. Es una via comparable a la ciência. Puede decir mucho más una metáfora que una equación. Porque no todo es computable, no todo es reducible a números. A veces un acierto genial de un artista nos hace una revelación.”

José Luís Sampedro – economista, professor e escritor

Mesmo que tudo seja traduzível a números (e eu acredito que é) não é reduzível a números. Há várias formas paralelas de expressar a mesma coisa, todas com as suas vantagens para diferentes utilizações e diversas pessoas.

A música é bela e poderosa não obstante quaisquer teorias que a queiram explicar.

E mesmo que um dia venham a expressar o amor, ou outro sentimento, com uma equação matemática perfeitamente manipulável, isso não impede que há tempos imemoriais o amor exista, se viva e se conheça. Como sentimento e emoção!

E no campo das emoções, as artes têm sido bem mais expressivas que qualquer outra manifestação cultural humana.

Bem hajam os artistas.

Aleluia.

2 comments:

Mary wants a little Lamb said...

A Arte é" A Arte"!
Sailors só o Poppey, mas nunca se sabe. Eu dei com o blog dele pelo empantanas.blogspot.com, numa das minhas incursões pelo mundo dos bloguistas...Vou continuar a vir até aqui. Pode ser, não pode?

Joana said...

Eu aprecio a arte,as letras, e os textos compostos por palavras!
Adorei o poema sobre o amor e sobre a arte!
Acho que para mim sempre me agradou muito mais a arte como uma via do auto- conhecimento, mais do que a ciência. Acho que talvez por ter mais emoção!