3.5.07

A nova religião: ecologia!

Ecologia?!?

Se há alguma causa política que eu acho interessante e importante é a ecologia.

Por ecologia entendo: conhecer o nosso mundo melhor para melhor poder viver nele. Ou seja: uma gestão inteligente dos recursos do nosso ecossistema favorável à humanidade. Uma ecologia pró-Homem claro!

Por isso me irrita tanto essa ecologia que por aí abunda do tipo anti-Homem. Uma mistura moderna marxismo reformulado com culpa cristã e o mito do bom selvagem. O Homem esse demónio pecador que destrói a natureza virginalmente boa através da sua civilização tecnológica e industrial, que em nome da justiça divina (a grande mãe “natura”, entenda-se) se vingará…


E assim vais nascendo o maior ismo, a maior religião destes tempos de globalização. Assim e com uns biliões de fundos governamentais à mistura...

Bahhh! Nojo.

(É preconceito, eu sei. Nas minhas limitações tenho problemas em aceitar o espectáculo emocional presente nesses fanatismos sectários e alienados que estão presentes em qualquer causa. Mas sou assim e mais vale aceitar.)

O Homem faz parte da natureza. É um produto da evolução da natureza. Diria mesmo que é a parte mais interessante e importante da natureza. E a esta visão chamo de naturalismo que para mim é a base da ecologia.

Deixemo-nos de tangas. Não vamos acabar com o mundo. Quando muito acabamos com a nossa própria espécie! E é isso o verdadeiramente preocupante. A ecologia tem de ser sempre a inteligência na salvaguarda dos nossos próprios interesses.

Mas, infelizmente a ecologia deste tipo, dito racional, ainda não é a que impera. A mais notável é a sentimental. E sentimentalista. Apelando a pena e a culpa. Ao sentimentalismo pela natureza. A de “esquerda”. A rebelde. A do escândalo. A das modas. A “pró-bicho”. A “pró-verde”! Aquela que concebe o homem como o mau, ou pior, o mal!

São muito apreciadas as emoções fortes. Tipo: “Incrível, neve em Lisboa! A maior queda de sempre a ser registada!”(No dia anterior queixavam-se que agora os invernos já não eram tão rigorosos e os Verões são mais curtos!)

E também gostamos de explicações fáceis. Tipo: “mais um sinal das alterações climáticas produzidas pelo efeito de estufa causado pelo Homem, que produz fenómenos como o El Niño…”

Se faz muito calor (“o pior de sempre!”) é culpa do homem que está a causar o aquecimento global. Se faz muito frio (“o mais frio que há registo”) a culpa é do homem que está a causar o desequilíbrio global. Se tudo está normal a culpa é…do Homem, que não acaba com as injustiças!

Maremotos, terramotos, degelo polar, vulcões, desertificação, enxurradas, etc.: tudo tem a mão maligna do Homem. Até se diz por aí (foi mais moda em finais dos anos 80) que fizemos um buraco no ozono!

E já agora junta-se tudo: há pobres, doenças, guerras e mortes? É o Homem mau e o seu sistema anti-ecológico! E para salvar o mundo do homem mau estão aí os ecologistas e as suas doutrinas salvadoras. Tudo para o nosso bem, claro.

Mas…

Aos poucos, quase sem querer, vão passando informações ao largo do espectáculo mediático, e que indicam que talvez não seja bem assim.

Talvez o aquecimento global (cujo o grau e até a existência não é uma unanimidade) se deva aos ciclos climáticos ou a uma explosão solar ligeiramente mais intensa. Talvez a outros factores que ainda não conhecemos. Talvez a tudo isso junto. Até pode ser que a Humanidade tenha alguma relevância no devir do mundo…talvez aí 0,1%!

Mas não diga isso a ninguém. É segredo. Não chateie.

A maioria das pessoas prefere acreditar que o Homem é omnipotente: faz e desfaz. Isso dá uma sensação de poder e logo de segurança. Talvez possamos impedir o devir que conduz a morte…
Este texto foi escrito o ano passado depois de ter nevado me Lisboa. Mas creio que hoje está mais actual que nunca.

3 comments:

LF said...

concordo no essencial com a tua posição...

só um reparo...a tal moda do buraco do ozono..deixo de o ser..porque uma acção concertada a nivel mundial..baniu os cfc e realmente conseguiu suster esse problema...

um acaso feliz ou talvez um exemplo para o futuro?

Quanto ao resto, é a história de sempre...queremos evitar uma coisa da qual não podemos escapar : A natureza humana....

deêm as voltas que derem...alterem até à saciedade a genética interna do Homem...mas na verdade serão ainda Homens a fazer essas mudanças...carregando estas as suas taras e manias de sempre!

Também vejo neste ecologismo de consenso laivos de esquerdismo do século XX...uma atitude de Luz..como se quem duvida ou quem contesta só pode ser demóniaco ou a soldo das grandes companhias....

E tal como esse esquerdismo..descamba já e descambará ainda mais em facções...cada vez mais violentas...porque (onde já vi isto) se julgam a vanguarda portadora da verdade que querem dar aos descrentes....

Gira o disco..toca o mesmo...

Temos problemas graves...sim claro que temos...alguma vez não os tivemos?

Um abraço

LF said...

a propósito...

vê este texto :

http://dererummundi.blogspot.com/2007/05/ecologia-versus-economia.html

António Matos said...

O texto tá interessante sim senhor.

Mas ue não sou nem tão céptico nem tão optimista.